quarta-feira, 17 de maio de 2017

Segredo.17.17


20 comentários:

  1. Não quer mais viver simplesmente para este mundo? E os conventos ficam localizados onde, em Marte?
    Não discuto a sua vontade de viver em clausura, porque cada ser humano sabe aquilo que o faz sentir mais feliz, mas a primeira impressão que fico é de alguém deslocado que tenta fugir aos problemas do mundo. Se a sua intenção é encontrar um porto mais seguro, acredito que não estará mais segura lá dentro do que aqui fora. Também há muita podridão naquele mundo ou julga que é só velinhas e terços? Este mundo pode não ser bonito de ver mas pelo menos é real, não é nenhuma utopia. Mas se gota, siga em frente porque no fim de contas tem que haver gente nova para manter a tradição da doçaria conventual...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu pessoalmente não percebo as freiras enclausuradas. Não acho que seja chamamento nenhum ou sequer uma vontade de fazer o bem mas simplesmente pessoas perdidas a quererem esconder-se do mundo.
      Alguém que queira dedicar a vida a Deus ou ao bem no geral pode perfeitamente tornar-se freira, missionária, etc e ir para o terreno ajudar quem realmente precisa: sejam pobres, doentes, pessoas que estão em países com guerra, entre milhares de outras opções. Esse tipo de pessoas eu admiro, capazes de abdicarem de toda a sua vida pelo bem dos outros. Já as freiras enclausuradas a mensagem que me passam é a de pessoas preguiçosas com medo de viver e de ter contacto com outros seres humanos. Será que Deus lhes vai reconhecer algum mérito? Não me recordo de ler em lado algum que as pessoas (sejam monges ou freiras) deveriam dedicar a sua vida a Deus, rezando o dia todo, comendo e vivendo à custa de todos - incluindo dos pobres - estando protegidos de todos os males do mundo... É das coisas mais sem nexo para mim.

      Eliminar
    2. Ser freira e clausura são 2 coisas diferentes...náo que este comentário tenha ponta por onde se lhe pegue.

      Eliminar
    3. Anónimo das 11:13, o seu comentário pode tornar-se interessante...logo que seja capaz de dizer-me a diferença entre ser freira e viver em clausura. É a velha questão do porque...

      Eliminar
    4. é a diferença entre sair à rua e não:

      Clausura monástica[1] (ou clausura conventual) são expressões próprias da terminologia monástica e conventual. Tal como outras acepções da palavra clausura, aponta para o conceito de "retirado" ou "fechado". A mesma etimologia tem a palavra "claustro". Esta expressão indica a forma de vida que levam os monges (no caso dos homens) e monjas (no caso das mulheres) de clausura em referência ao voto religioso que lhes deu a obrigação de não mais saírem do seu Mosteiro ou Convento; o outro tipo de clero consagrado das ordens religiosas que não tenha feito esse voto de clausura poderá desempenhar atividades no exterior.

      Eliminar
    5. Anónimo das 16:19;

      Muito bem, gostei da definição que o sr ou a sra transcreveu da Wikipédia mas até ai já eu tinha conseguido também chegar. E uma vez que a clausura monástica (ou clausura conventual) é uma condição obrigatória para toda aquela que fizer o voto de ser freira, gostava de saber que tipo de diferença você tencionou colocar...
      Acho que você quis dizer que nem todas as freiras vivem em clausura e era isso que eu esperava ouvir de si. Mas valorizo o seu esforço de tentar responder alguma coisa.

      Eliminar
  2. E acreditas em Deus? Porque ser freira não é so estar num convento a fazer coisas boas...

    ResponderEliminar
  3. Ser freira é um chamamento que se sente no coração, não é uma fuga.

    ResponderEliminar
  4. E se, antes ou invés de seres freira, experimentasses a missionação leiga? Experimenta outros mundos antes de te decidires pela clausura. Boa sorte!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas se ela for para missionária terá de trabalhar. Se ela se decidir pela clausura tem tecto e comida de borla para a vida toda sem fazer nada.

      Eliminar
  5. Ser freiria não é só viver em clausura. Há muitas congregações que fazem um excelente trabalho nas comunidades onde se inserem.
    Se sentes que viver apenas para esta vida passageira não te dá alento, procura ajuda com um conselheiro espiritual.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que tipo de trabalho excelente fazem essas congregações?

      Eliminar
    2. Praticamente o mesmo que pode fazer um missionário, só que dentro da congregação, ou ordem. Por exemplo, trabalhar com crianças, prostitutas, mães solteiras, sem-abrigo, doentes, idosos, etc... Existem freiras que trabalham em hospitais, outras em escolas e por aí fora. As freiras de clausura são as únicas que realmente não podem ter contacto com o mundo. As restantes têm de continuar a lidar com o 'exterior'.

      Eliminar
  6. Nem todas as freiras são de clausura comentadores.

    ResponderEliminar
  7. Então prepare-se, porque nesse "mundo" existe muita podridão, apenas está camuflada e protegida.

    ResponderEliminar
  8. Se sentir o chamado força, e ignore as feministas

    ResponderEliminar
  9. Ser freira é profissão?
    Para mim é uma maneira de fugir e entrar num mundo sem sentido.
    Será que uma pessoa não pode ter a sua fé ou crença sem ir para freira?

    ResponderEliminar
  10. Só gente ignorante, freira é uma vocação especial dedicada a oração e ao trabalho, pobres mulheres que aqui criticais

    ResponderEliminar
  11. Se for isso que te faça feliz, força. O que importa é que consigas ser feliz.

    ResponderEliminar